terça-feira, 2 de abril de 2013

Isol é mais uma autora em nossa estante

Confesso que nunca tinha ouvido falar em Isol até a escritora/ilustradora argentina ganhar o Prêmio Astrid Lindgren Memorial (Alma), o mais valioso concedido à literatura infantil no mundo. Fiquei curiosa em conhecê-la menos por ela ter ganho o prêmio da Coroa Sueca do que pelas distinções feitas a ela pelos jurados, que destacaram sua capacidade de tomar "a visão clara da criança sobre o mundo como seu ponto de partida" e de expor os absurdos do mundo adulto para os pequenos leitores. O comentário pode até parecer óbvio, considerando-se que ela produz literatura infantil, mas não é. Muito pouca gente consegue escrever como criança, deixando de lado o vício de escrever para as crianças e, assim, trazer em seu universo narrativo lições sobre o mundo. Esta distinção me fez ir logo ver o que havia traduzido de Isol para o português. Achei dois livros - Intercâmbio cultural e Segredo de Família, ambos editados pelo Fondo de Cultura Economica - e resolvi comprá-los. No mesmo dia em que chegaram à minha casa, li para o Pedro e o Antônio, que ultimamente têm compartilhado as leituras e o horário de dormir. Eles escolheram primeiro o Intercâmbio cultural, talvez pelo fato de ele ter um elefante na capa, e avançamos em direção ao universo de Isol. A história de um menino viciado em TV e de um elefante africano que trocam de lugar não é surpreendente, mas é contada com humor e originalidade que impedem a autora de cair na armadilha do politicamente correto e falar para a criança o que é melhor para ela. O Antônio, que adora uma TV, se interessou pela história e fez graça com o final. Felizmente não lhe passou despercebido o olhar hipnotizado do elefante diante da TV. Mas foi  com Segredo de família que Isol ganhou meus filhos. A história da menina que se espanta ao descobrir que, ao acordar, a mãe é um porco-espinho é uma delícia que mostra com humor, como disse o juri do Prêmio Alma, os absurdos do mundo adulto para as crianças. A mãe da menina-protagonista não é nenhum porco-espinho, mas, como qualquer mortal, acorda descabelada e bem diferente da imagem que cada um produz para si mesmo. Isol brinca com esta dicotomia e nos faz pensar nos limites desta produção ao apresentar o espanto da menina. Meus filhos, dois cabeludos descabelados, adoraram as possibilidades apresentada por Isol para diversas famílias. Ao fim, ela convida o jovem leitor a expressar a imagem que tem de sua família. Em casa de cabeludo, ganhou o leão. E, nós, apenas com esta provinha de dois livros entre os 10 de Isol, ganhamos mais uma autora com boas histórias para animar nossas leituras noturnas.

5 comentários:

Cristina Sá disse...

LUCIANA,
OLÁ!

Obrigada por me apresentar
a ISOL.

Já coloquei os 2 livros na
minha "pequena" lista de
compras futuras.

Fiquei muito curiosa e com
uma vontade louca de conhecer
o elefante africano do livro
INTERCÂMBIO CULTURAL e a
mãe porco-espinho do SEGREDO
DE FAMÍLIA.
beijo
Cristina Sá
http://cristinasaliteraturainfantilejuvenil.blogspot.com

Luciana Conti disse...

Oi, Cristina,
Acho que você vai gostar.
bjs

Anônimo disse...

Lu, que dicas otimas!!! Acabei de encomendar os meus pela Livraria Cultura (unico lugar onde achei na web). Obrigada, querida. Beijos, Germana

Eleonora Acosta disse...

olá! Sou Eleonora, professora de Português e... argentina fanática da Isol! Caí por acaso no seu blog e amei! Compartilho o seu ponto de vista quanto ao olhar sobre as crianças e a literatura infanto-juvenil. Quero aproveitar para recomendar "Piñatas" da Isol! nao sei se o livro foi traduzido para o português... e também "regalo sorpresa". Na verdade poderia recomendar todos os livros dela. Parabéns pelo seu blog! Um abraço, Eleonora

Luciana Conti disse...

Oi, Eleonora, que bom que você gostou. Por aqui, temos muito pouco contato com a produção de literatura para crianças e jovens da Argentina. Querendo sugerir livros, vou adorar. bjs
Luciana